Uma vida em palavras


Já disse aqui que adoro ler biografias. Depois que eu li a do Tim Maia (escrita pelo Nelson Motta, de quem eu sou fã), eu fiquei com bastante vontade de ler outras coisas a respeito do cenário musical brasileiro. Daí minha mãe cismou que queria comprar o livro do Lobão, 50 anos a mil, para nós duas lermos.

Sempre achei o cara um dos símbolos do rock nacional. Ponto. Meus pais ouviam bastante coisa dele quando eu era menor, mas eu nunca me interessei muito por ele. Acontece que minha mãe comprou o livro, e enquanto lia, ia me contando algumas passagens que me deixaram mais que curiosa. Resultado? Lá vou eu ler também!



Posso dizer que entrou pro meu ranking de favoritos. Longe de mim dizer que tudo o que ele fez é um bom exemplo a ser seguido, mas passei a admirar o cara. Ele é original, não teve medo de ser polêmico e nem de contar o que aconteceu, independente de como isso fosse fazer ele parecer.

O que é mais interessante nesse tipo de livro, além daquelas fofoquinhas de bastidores, é que a história da pessoa se mistura com a história da música nacional, que por sua vez, se mistura com o momento político que o país estava atravessando na época narrada. Durante a leitura, várias vezes fui atrás das músicas citadas (tem vários LPs na casa da minha vó!!!), e as ouço constantemente até hoje.

E a linguagem do livro é incrível. Todo o levantamento de mídia foi realizado pelo jornalista Cláudio Tognolli, mas os textos são do próprio Lobão. Quando se está lendo, a impressão que você tem é de que ele está ali, do seu lado, te contando a história. O Lobão conseguiu transpor as barreiras do papel e imprimir fielmente a forma como ele fala no livro.

Enfim... mais do que recomendado, não?


Ah, a próxima biografia que vou ler é a do Erasmo Carlos, que já está aqui em casa.

You can leave a response, or trackback from your own site.

2 Response to "Uma vida em palavras"

  1. Izabel says:

    Também li o livro e passei a admirar ainda mais o artista Lobão. Concordo que ele não é exemplo de vida para ninguém, mas tem um lado tão determinado, criativo, forte. Adorei a forma como ele escreve e a viagem pelo mundo da música, principalmente os anos 80, que vivi intensamente.

    Monique Magalhães says:

    O Claudio Tognolli foi meu professor na faculdade no mesmo periodo em que escreveu a biografia. Ele contou muito sobre os bastidores do livro e do proprio Lobão, que despertou ainda mais a curiosidade e interesse. Tenho que ler! Vou seguir a recomendação :)

Postar um comentário

Powered by Blogger widgets